Antropologia. Pensando nos COSTUMES, HISTÓRIAS e TRADIÇÕES de cada povo e país. ‘Xullo, o mes das leiteiras na Galiza.’

‘Un exhibicionista anda solto por Arteixo.’ Histórias da Galícia

Ética e Antropologia. Pensando nos COSTUMES, HISTÓRIAS e TRADIÇÕES de cada povo e país. O que cada estado dos EUA tem de melhor e de pior.

‘Muçulmano suspeito de matar uma vaca é linchado na Índia.’ — EXAME

Um muçulmano suspeito de matar uma vaca foi linchado até a morte por uma multidão na região central da Índia, anunciou neste domingo a polícia, no mais recente caso de assassinato vinculado a este animal sagrado do hinduísmo. Siraj Khan, um alfaiate de 45 anos, foi atacado na sexta-feira em Satna, distrito do estado de…

via Muçulmano suspeito de matar uma vaca é linchado na Índia — EXAME

‘Crianças de diferentes lugares e realidades mostram seus brinquedos favoritos.’ — VIVIMETALIUN

Passamos muito tempo falando sobre o mundo e pouco realmente tentando entender o que acontece ao redor dele. É o que achava Hans Rosling, um sueco que ficou famoso por suas palestras em que apresentava estatísticas sobre o desenvolvimento do planeta.Com objetivo de estimular a busca por fatos, Hans fez inúmeras apresentações, gravou TEDs e […]

via Crianças de diferentes lugares e realidades mostram seus brinquedos favoritos — VIVIMETALIUN

Histórias, tradições e costumes de cada povo e país. Muito estranhos.

19 de Abril: Dia do Índio

ATIVIDADES de FILOSOFIA
Assista ao vídeo abaixo.
Faça uma pergunta, desenvolvendo a sua curiosidade.
Dê a sua opinião pessoal, desenvolvendo as ideias próprias.
Debates.

Muita arte e emoção nos sambas de enredo do Rio de Janeiro.

A Lenda da Vitória-Régia

Antropologia

 Pensando nas HISTÓRIAS, COSTUMES e TRADIÇÕES de cada povo e país.

A Lenda da Vitória-Régia

Havia uma índia, jovem e bonita, chamada Naiá, filha de um chefe indígena. Sabendo que a Lua era um guerreiro, por ele, ela se apaixonou. Todas as noites, por muito tempo, subia as colinas e perseguia a Lua na esperança de que a visse e a transformasse em estrela. Porém, a Lua não notava a sua presença e Naiá chorava de tristeza. Uma noite, a jovem chegou à beira de um lago e viu nas águas a imagem da Lua refletida. Ficou radiante. Acreditando que a Lua teria vindo buscá-la, atirou-se em suas águas profundas e nunca mais foi vista. Penalizada com o destino da bela índia, a Lua recompensou seu sacrifício, transformando-a em uma estrela diferente, em uma ‘estrela das águas’, que é a vitória-régia. A vitória-régia, planta amazônica, possui uma enorme folha e suas flores, ora brancas, amarelas, roxas, lilases ou rosas, abrem-se somente à noite, exalando um perfume delicado e agradável.

Origami & Folclore. São Paulo, Êxito, 2003.

Daily Post 7: Meddle. Cultural meddling: Richard Rasmussen. Rituais Indígenas do Brasil

How to become a man?

https://dailypost.wordpress.com/prompts/meddle/

Daily Prompt 30. A Good Match. ‘Pastel com Caldo de Cana’, a Brazilian tradition.

via Desafio de foto: A Good Match

https://dailypost.wordpress.com/photo-challenges/a-good-match/

Antropologia. Sila, a novela da Band, mostra a importância de as TRADIÇÕES serem revistas, não apenas seguidas.

sila

Imagem

Antropologia. A Cultura Indígena com o ‘Cantinho das Perguntas’.

A CULTURA INDÍGENA
Cantinho das Perguntas com Ilustração:
Atividade inspirada em Paulo Freire, ¨Por Uma Pedagogia da Pergunta.¨

1-A. Por que os índios andam nus?
2-P. Por que eles pintam o rosto?
3-A. Existem índios em outros países, além do Brasil?
4-G. Por que eles matam os animais?
5-J. Como conseguem andar pela floresta sem sapatos e roupas?
6-A. Pocahontas era uma índia?
7-K. Os índios já foram escravos?
8-A. As crianças indígenas trabalham?
9-E. Qual é a rotina diária dos índi@s?
10- L.F. Como os índios não ficam doentes tomando água sem tratar?

ARQUIVO. Antropologia, Ética e Economia. ‘Corte de orçamento obriga Museu Afro-Brasil a demitir.’ – Cultura – Estadão

ARQUIVO

A Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo demitirá 25 funcionários do Museu Afro-Brasil, além de diminuir investimentos em exposições e trabalhos realizados no local, devido ao corte no seu orçamento pelo governo federal.Nesse ínterim, o MEC pede a todos os professores que ensinem mais e mais acerca de Africanidade.

Foi assim que preparei esta aula, para mostrar aos alunos que, na verdade, esse assunto não tem a devida relevãncia no Brasil: ao invés de enaltecer e valorizar a cultura afro-brasileira e os afrodescendentes, já tão destratados em nossa nação, o govermo federal retira verbas do único lugar oficial do estado onde a Africanidade não poderia ser deixada em segundo plano.

Provavelmente, este corte no orçamento também ocorrerá com relação à cultura indígena e seus museus, mas como o mês do índio é em Abril, só teremos esta notícia no próximo mês.

Por que isso, presidenta Dilma Rousseff? Vossa Excelência não garantiu que a Educação é prioridade do seu governo?

Emanoel Araújo

Emanoel Araújo

Corte de orçamento obriga Museu Afro Brasil a demitir – Cultura – Estadão.

¨São Paulo ganha tour virtual em 360º na comemoração dos seus 461 anos.¨ Blogue Agito São Paulo

Antropologia

A São Paulo de todos: faces, nacionalidades e regionalismos; costumes, histórias e tradições.

Parabéns por esse 25 de Janeiro!

ANTROPOLOGIA. Costumes e Tradições de Cada Lugar. O Saara, no Rio de Janeiro!

Conhecido como o grande Comércio Popular de Rua, no Rio de Janeiro, o Saara oferece mercadorias a preços como os do Comércio Popular da Rua 25 de Março, em São Paulo. Quem se interessar em conhecer mais sobre este lugar tão peculiar dos cariocas é só dar uma lida neste post, originalmente do blogue amigo sigavalemais.com.br.

http://sigavalemais.com.br/2015/01/21/achados-de-verao-no-saara/

temnomeuquintal.com

temnomeuquintal.com

Antropologia. ¨GASTRONOMÍA MICOLÓXICA¨. Helena Villar Janeiro

Galiza, pátria amada!

Culinária galega com cogumelos.

http://helenavillarjaneiro.blogaliza.org/2014/12/05/gastronomia-micoloxica/

¨Do escrache ao rescate da lingua¨. Caderno da Crítica. Ramón Nicolás

Antropologia
Histórias, Tradições e Costumes Galegos. Galiza
Quanta luta para manter uma língua viva!

Caderno da crítica

Onte celebrouse unha sesión no Parlamento de Galicia onde, entre outros asuntos, a parlamentaria Ana Pontón defendeu unha moción que instaba ao goberno galego e cumprir a Lei de Normalización Lingüística nos centros de ensino.  Custoume atopar información sobre o acontecido agás escasasplataformasinformativas, polo que o tratamento recibido é indicio revelador do grao de interese que existe polo noso idioma e polo seu futuro. Porque de futuro se fala cando tan só se demanda o cumprimento dos contidos dunha lei  consensuada no seu día e que agora se ignora, conculca ou manipula.

       O falar non ten cancelas, pero non é este o caso pois sei que, nunha semana coma esta no que comeza o ensino primario e o secundario, a experiencia é compartida con centos de ensinantes deste país que recibimos esperanzados, cada curso escolar, novas fornadas de estudantado no ensino medio que, cada vez máis, chegan cargados de prexuízos…

Ver o post original 188 mais palavras

Urbex – ¨Escola Abandonada¨. Daniel Pátaro


Campinas do século XX. Uma escola abandonada. Uma descoberta fascinante.
Obrigada, Daniel Pátaro.

D.Pátaro

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

Com a temperatura novamente acima dos 30 graus (chegou a 33,6ºC hoje) saí para explorar as ruínas de um escola do início do século. Foi construída, provavelmente, na década de 1910 e localiza-se no bairro hoje chamado Carlos Gomes Velho, em Campinas.

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

Antigamente ali era a Fazenda Duas Pontes, a maior produtora de café da história do município, ao lado da estação ferroviária Desembargador Furtado (1901).

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

A primeira metade da década de 1920 caracterizou-se pelo auge da produção cafeeira em grande parte do território paulista. Porém, no final dessa década, houve uma crise da economia cafeeira, atingindo grande parte do estado de São Paulo. A decadência da produção ocorreu pelo desgaste das terras da região, pelas geadas que acabavam com as lavouras, pela diminuição da exportação motivada pela alteração da qualidade do café, pela concorrência de outros países e pela crise econômica de 1929

Ver o post original 63 mais palavras

“As unhas das Imperatrizes Chinesas”. Christine Marote. China na Minha Vida

Antropologia
Pensando nos costumes, histórias e tradições de cada povo e de cada país.
As unhas chinesas!!

Christine Marote

China na minha vida

Desde a primeira vez que coloquei o pés na China e comecei a bater perna por Chang Chun, entrar nos locais mais inusitados e descobrir as coisas, os locais de fazer as unhas sempre me chamaram atenção. Primeiro porque aqui, desde sempre, local de fazer unha é local de fazer unha e ponto. Não dá para dar aquele jeitinho brasileiro de uma pessoas fazendo a mão, outra o pé e uma terceira escovando ou tingindo nosso cabelo (até hoje sinto saudades dessa praticidade brasileira, que me possibilitava dar conta da aparência nos intervalos de almoço, algumas vezes!).

Os ‘nails studios’ que hoje estão na moda no Brasil, já existiam na China há muito tempo. E a história das unhas enfeitadas então… desde que a China é China! Sim, porque vamos combinar que aqui não é uma florzinha delicada na unha, ou um esmalte mais elaborado com listras ou qualquer coisa…

Ver o post original 658 mais palavras