Brasil, infelizmente, campeão na cultura do sexo.

‘Crianças sem Terrinha.’

Frente Brasil Popular promove o ‘Primeiro Encontro Nacional das Crianças Sem Terrinha’.

Que horror, desde cedo crianças estão aprendendo a ser pedintes, a ser dependentes do Governo Federal e a lamentar que nasceram desafortunadas. Estudar, ralar, arregaçar as mangas, trabalhar e comprar o seu pedaço de chão, ninguém quer.

As crianças autistas e as festas de final de ano.

O natal e suas festividades são motivos de alegria para a maioria das crianças, mas para aquelas com autismo, o período pode ser extremamente estressante. Algumas partes da festa, incluindo a abertura dos presentes, a ceia e até mesmo a encantadora decoração, acabam alterando e atrapalhando a rotina tão valorizada por essas crianças. As informações são…

via O desafio das festas natalinas para crianças com autismo — VEJA.com

Filosofia com crianças e para crianças! Filosofía para Niños – FpN. UNESCO

La Filosofía: Una Escuela de la Libertad” – PDF
Filosofia com crianças e para crianças.
Filosofía para Niños – FpN
ONU – UNESCO

unesco-logo

http://unesdoc.unesco.org/images/0019/001926/192689S.pdf

‘Tudo a seu tempo.’ Filosofia Animada

Criança tem amigos! É importante ser criança. Vamos preservar a infância, um período fundamental para o desenvolvimento humano. Tudo a seu tempo.

via Criança não namora — Filosofia Animada

Filosofia da Ciência e Ética. A descoberta dos gêneros, masculino e feminino, pelas crianças.

São Paulo – Meninas e meninos de 5 anos escutam uma história sobre uma pessoa “muito, muito inteligente”. As crianças não recebem nenhuma dica sobre o gênero dessa pessoa, mas quando são requisitadas a adivinhar quem é o protagonista, com base em fotos de dois homens e duas mulheres, meninas e meninos tendem a escolher…

via Diferença de gênero pode surgir aos 6 anos, mostra estudo — EXAME.com – Negócios, economia, tecnologia e carreira

‘Natal das crianças’ – Cultura – Estadão

Aceite que o barroco dourado e over do mundo natalino é a chance de ser cafona sem culpa.

Fonte: Natal das crianças – Cultura – Estadão

Entradas Mais Antigas Anteriores