Cristo não nasceu no Natal | Superinteressante

O 25 de dezembro é apenas uma data simbólica, adotada pela Igreja por volta do século 4. Na verdade, ninguém ideia de quando Jesus Cristo nasceu.

Fonte: Cristo não nasceu no Natal | Superinteressante

$ BLACK FRIDAY. El origen del Viernes Negro. – YouTube

As crianças autistas e as festas de final de ano.

O natal e suas festividades são motivos de alegria para a maioria das crianças, mas para aquelas com autismo, o período pode ser extremamente estressante. Algumas partes da festa, incluindo a abertura dos presentes, a ceia e até mesmo a encantadora decoração, acabam alterando e atrapalhando a rotina tão valorizada por essas crianças. As informações são…

via O desafio das festas natalinas para crianças com autismo — VEJA.com

‘Natal em tempos de Herodes’ — Leonardo Boff

O Natal deste ano será diferente de outros natais. Geralmente é a festa da confraternização das famílias. Para os cristão é a celebração da divina Criança que veio para assumir nossa humanidade e faze-la melhor. No contexto atual, porém, em seu lugar assomou a figura do terrível Herodes. o Grande (73 a.C-4-a. C), ligado à […]

via Natal em tempos de Herodes — Leonardo Boff

‘Natal das crianças’ – Cultura – Estadão

Aceite que o barroco dourado e over do mundo natalino é a chance de ser cafona sem culpa.

Fonte: Natal das crianças – Cultura – Estadão

Daily Prompt 18: Vigor. Christmas is coming!

romero-britto-lord-flick

Romero Britto

The Lord is my helper and I will not fear what man shall do unto me.’ O Senhor é o meu auxílio e não temerei o que me possa fazer o homem. 

via Sugestão diária: Vigor

https://dailypost.wordpress.com/prompts/vigor/

Ética. ¨O espírito de “A guerra acabou”¨. Caderno da Crítica. Ramón Nicolás

Ética e Política
E as guerras não acabaram…

Caderno da crítica

No Nadal de 1971 John Lennon e Yoko Ono popularizaron aquela célebre sentenza de “War is Over (If You Want It)” en plena guerra do Vietnam alentando o necesario espírito pacifista. Algo semellante, sen tanta parafernalia mediática, fixera por exemplo o noso Uxío Novoneyra, xa en 1967, co “Vietnam canto“. Na rede hai un sitio no se evoca aquela iniciativa de Lennon e Ono, e reproduzo abaixo un vídeo que recomendo visionar, sobre todo desde o minuto seis

       Pasaron máis de catro décadas e os focos de tensión bélica internacional seguen activos, a carón doutros igualmente magoantes como os asasinatos derivados da  violencia machista ou os que chegan pola virulencia coa que se aplican políticas restritivas e insolidarias, sobre todo evidentes na crecente pobreza infantil. Nestes días atrévome, supoño que utopicamente, a reclamar a vixencia dese espírito que encerra “A guerra acabou”, cando aquela guerra aínda non acabara. Un desexo  que…

Ver o post original 53 mais palavras

Filosofia da Arte. Música. Toquinho hoje em São Paulo. “Jesus, Alegria dos Homens”

Toquinho

estadao.com.br

Ética e Filosofia da Arte. Sobre o Amor. Paulo de Tarso, Luís de Camões e Renato Russo. Feliz Natal a Tod@s!

Ainda que eu falasse a língua do homens. E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

É só o amor, é só o amor. Que conhece o que é verdade. O amor é bom, não quer o mal. Não sente inveja ou se envaidece.

O amor é o fogo que arde sem se ver. É ferida que dói e não se sente.

É um contentamento descontente. É dor que desatina sem doer.

Ainda que eu falasse a língua dos homens. E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

É um não querer mais que bem querer. É solitário andar por entre a gente. É um não contentar-se de contente. É cuidar que se ganha em se perder.

É um estar-se preso por vontade. É servir a quem vence, o vencedor. É um ter com quem nos mata a lealdade. Tão contrário a si é o mesmo amor.

Estou acordado e todos dormem todos dormem todos dormem. Agora vejo em parte, mas então veremos face a face.

É só o amor, é só o amor. Que conhece o que é verdade.

Ainda que eu falasse a língua dos homens. E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.

Em 1989, a banda Legião Urbana lançou em seu álbum, As Quatro Estações, a música Monte Castelo. Essa música, escrita pelo Renato Russo, vocalista da banda, partiu de uma criativa e inteligente adaptação do Soneto 11 de Luís Vaz de Camões e de Coríntios –  capítulo  13, versículos 1, 2 e 3.

Fernanda Belinelo

http://poesiaeoutrasmidias.arteblog.com.br/208556/Legiao-Urbana-e-adaptacao-da-poesia/

FILOSOFIA DA ARTE. Natal. Vinícius de Moraes. O Poetinha.

LIEBSTERBLOGAWARD MLD

 

papai-noel-triste

¨POEMA DE NATAL¨

VINÍCIUS DE MORAES

Para isso fomos feitos: para lembrar e ser lembrados; para chorar e fazer chorar; para enterrar os nossos mortos.

Por isso temos braços longos, para os adeuses; mãos, para colher o que foi dado; dedos, para cavar a terra.

Assim será nossa vida: uma tarde sempre a esquecer; uma estrela a se apagar na treva; um caminho entre dois túmulos.

Por isso precisamos velar, falar baixo, pisar leve, ver a noite dormir em silêncio.

Não há muito o que dizer: uma canção sobre um berço; um verso, talvez de amor; uma prece, por quem se vai.

Mas que essa hora não esqueça e por ela os nossos corações se entreguem, graves e simples.

Pois para isso fomos feitos: para a esperança no milagre; para a participação da poesia; para ver a face da morte.

De repente, nunca mais esperaremos…

Hoje a noite é jovem; da morte apenas nascemos, imensamente.

'O Poetinha'

‘O Poetinha’