Flor do Café

Urbex – ¨Escola Abandonada¨. Daniel Pátaro


Campinas do século XX. Uma escola abandonada. Uma descoberta fascinante.
Obrigada, Daniel Pátaro.

Daniel Pátaro

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

Com a temperatura novamente acima dos 30 graus (chegou a 33,6ºC hoje) saí para explorar as ruínas de um escola do início do século. Foi construída, provavelmente, na década de 1910 e localiza-se no bairro hoje chamado Carlos Gomes Velho, em Campinas.

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

Antigamente ali era a Fazenda Duas Pontes, a maior produtora de café da história do município, ao lado da estação ferroviária Desembargador Furtado (1901).

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

A primeira metade da década de 1920 caracterizou-se pelo auge da produção cafeeira em grande parte do território paulista. Porém, no final dessa década, houve uma crise da economia cafeeira, atingindo grande parte do estado de São Paulo. A decadência da produção ocorreu pelo desgaste das terras da região, pelas geadas que acabavam com as lavouras, pela diminuição da exportação motivada pela alteração da qualidade do café, pela concorrência de outros países e pela crise econômica de 1929

Ver o post original 63 mais palavras

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA. Desde 1971!

LIEBSTERBLOGAWARD MLD

O presidente Lula costumava dizer, com frequência, que o povo brasileiro tinha uma dívida moral e social com todos os negros africanos que foram escravizados em nosso solo, dívida que, paulatinamente, teria que ser quitada com a criação de  direitos, voltados a eles e seus descendentes. Enquanto foram a força motriz da economia brasileira no Brasil Colonial e no Brasil Império, trabalharam arduamente nas culturas da cana-de-açúcar e do café, além da mineração. Durante 300 anos serviram aos seus senhores e senhoras debaixo da chibata. Quando da sua libertação, em 1888, nem sequer sabiam o que fazer com a tão sonhada liberdade, estavam soltos pelo Brasil inteiro, sem trabalho, pouso ou comida. A el@s, uma saudação de gratidão.

Museu de Arte de São Paulo. MASP
Avenida Paulista, o centro financeiro do Brasil, local dos antigos casarões dos barões do café do interior do estado de São Paulo. As fazendas do café eram movidas com a força escrava do negro africano.

A máscara de ferro foi um dos instrumentos de tortura durante a escravidão dos negros africanos no Brasil. Ela era retirada somente quando @ escrav@ ia se alimentar. Esta máscara também era usada pelos escravos que trabalhavam com a mineração a fim de não engolir diamantes e pedras preciosas das Minas Gerais, com os quais poderiam tentar comprar a sua liberdade. Deixo-lhes esta caricatura da escrava Anastácia, escrava elegante e de olhos azuis, em homenagem ao DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA, comemorado desde 1971 até hoje. No Calendário Escolar, a data foi oficialmente comemorada a partir da Lei 10.639/03, em 2003, durante o primeiro mandato do presidente Lula (2002-2006). Os municípios que desejam celebrar este dia podem fazê-lo como  ‘feriado municipal’.

arteeinspiracao.blogspot.com

Uma homenagem especial à escrava Anastácia, famosa por sua beleza, protegida por seus senhores, que criara muito ciúme entre as mulheres livres. Leiam abaixo!

http://principefutil.blogspot.com.br/2011/09/historia-da-escrava-anastacia.html

http://jus.com.br/revista/texto/9172/dia-da-consciencia-negra