‘O Laço de Fita’ — Poesia Contemporânea e Moderna

Não sabes, criança? ‘Stou louco de amores…Prendi meus afetos, formosa Pepita.Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?!Não rias, prendi-meNum laço de fita.Na selva sombria de tuas madeixas,Nos negros cabelos da moça bonita,Fingindo a serpente qu’enlaça a folhagem,Formoso enroscava-seO laço de fita.Meu ser, que voava nas luzes da festa,Qual pássaro bravo, que os ares agita,Eu…

via O Laço de fita — Poesia Contemporânea e Moderna

Citação

BALLET | Tirar do fío

Fonte: BALLET | Tirar do fío

Filosofia da Arte. Helena Villar Janeiro

Rizouno o vento

e aguzárono as chuvias

namentres dorme.

Tirar do Fío

Filosofia da Arte. Poesia Galega

A primavera

érguese coma un báculo

sostén de vida.

via BÁCULO PRIMAVERAL — Tirar do fío

Filosofia da Arte. Poesia Galega

Poema críptico

que o mar sabe escribir

cos seus acentos.

via POEMA CRÍPTICO — Tirar do fío

Cântico IV – Cecilia Meireles

Filosofia da Arte. Cecília Meireles

En-RED-Versados

Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.

Ver o post original

Poesia Galega. Helena Villar Janeiro

Máxicas pingas

que fan lingua da flor,

amor do pétalo.

Tirar do Fío

Entradas Mais Antigas Anteriores